Junta exige ao Governo obras no Centro de Saúde e repavimentação urgente do estacionamento

A Junta de Freguesia de Santo André enviou, no dia 17 de dezembro, um ofício ao Ministério da Saúde, onde reivindica, entre outros assuntos, a beneficiação da Extensão de Saúde de Vila Nova de Santo André e a repavimentação urgente do respetivo estacionamento.

O Presidente da JFSA, David Gorgulho, destaca “as amplas necessidades de beneficiação da nossa Extensão de Saúde” e reivindica “a criação de condições dignas para utentes e profissionais de saúde. O Ministério tem conhecimento destas necessidades. Tanto assim é que a Extensão de Saúde de Santo André foi mapeada como prioridade no Programa Operacional do Alentejo para 2017/2018, não tendo porém, até à data, conhecido qualquer desenvolvimento prático, com o consequente agravamento dos problemas que afetam a unidade. Queremos saber as previsões reais para a realização da obra e que se dêem passos sérios e objetivos nesse sentido”.

Na missiva dirigida à Ministra da Saúde, David Gorgulho chama também a atenção para “o estado de conservação absolutamente lastimável do estacionamento da Extensão de Saúde de Vila Nova de Santo André”, um assunto que “já não é a primeira nem a segunda vez que chamamos a atenção e que não pode continuar naquele estado. A repavimentação é uma exigência nossa e da população que tarda em ser satisfeita, que muito desprestigia o Ministério da Saúde e o Governo”.

O Presidente da JFSA aproveitou ainda o ofício para relembrar ao Governo “a  importância da reabertura do Posto Médico de Deixa-o-Resto, encerrado há oito anos, que tanta falta faz a uma população que enfrenta grandes dificuldades de deslocação para o Hospital do Litoral Alentejano, atendendo à deficitária rede de transportes públicos que façam a ligação destas aldeias ao HLA, e que tinha neste equipamento uma solução de conforto e proximidade”.

Sobre o Hospital do Litoral Alentejano, a Junta de Freguesia de Santo André volta a juntar a sua voz “à população, às comissões de utentes, à Câmara Municipal e à CIMAL, no sentido de reivindicar mais e melhores condições ao nível da prestação de cuidados, em particular na criação de condições para a existência de um médico pediatra de apoio ao Serviço de Atendimento à Criança Doente 24h/365 dias; para a admissão imediata de Enfermeiros, Médicos, Assistentes Operacionais e Assistentes Técnicos; para o restabelecimento da totalidade de vagas dos vários serviços do Hospital do Litoral Alentejano; e para a criação de condições para o cumprimento dos tempos máximos de resposta nas consultas, cirurgias e exames complementares de diagnóstico das várias especialidades, como Cardiologia, Gastroenterologia, Urologia, entre outras”.

 

Partilhe
简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItalianoPortuguêsРусскийEspañol